Eu amo samba, Alcione e Diogo Nogueira na Red Eventos - Jaguariúna
Saiba mais sobre o Show Onde comprar os ingressos Pontos de Venda Local deste Show Mais informações Fale com a gente
 

EU AMO SAMBA - ALCIONE E DIOGO NOGUEIRA NA RED EVENTOS

DIOGO NOGUEIRA, com 10 anos de carreira, é um dos principais nomes do atual cenário do samba brasileiro. Artista multifacetado, é cantor, compositor, instrumentista, apresentador, estreou como ator em 2015 no musical “SamBRA”, além de apresentador do programa “Samba na Gamboa” (hoje a maior audiência da TV Brasil e também exibido na TV Cultura). Atualmente comanda o programa de rádio “Batukada Boa”, com uma roda de samba ao vivo, na Rádio Transcontinental, São Paulo. Diogo foi, ao longo dos anos, afinando a sua pena e, sem muito alarde, emplacou quatro sambas-enredo na sua escola, a Portela, em carnavais consecutivos, todos com nota 10 dos jurados. Agora, acaba de lançar seu primeiro disco totalmente autoral,  “Munduê”, pisando firme no terreiro do samba.

Com mais de um milhão de cópias vendidas de seus CDs e DVDs, Diogo foi indicado ao Grammy Latino por todos os seus álbuns - prêmio que venceu por duas vezes. Sua discografia renderam ao cantor seis discos de ouro, três DVD de ouro, dois de platina e um de platina dupla.

Diogo tornou-se um dos cantores de samba mais populares do país.  Filho do lendário cantor e compositor João Nogueira, cresceu embalado por choros e sambas. Desde pequeno queria ser jogador de futebol, mas uma lesão no joelho o tirou dos campos e fez Diogo mudar de ideia e a música popular brasileira ganhou um grande artilheiro.

Seu primeiro DVD já o trouxe como a maior revelação do samba de sua geração. Gravado em 2007 no Teatro João Caetano (RJ), com clássicos do samba e músicas inéditas, ao lado dos convidados Marcelo D2, Xande de Pilares e o violonista Marcel Powell, “Diogo Nogueira – Ao Vivo” foi lançado no final de 2007, também no formato de CD. No mesmo ano Diogo foi um dos indicados ao Prêmio Multishow de Música Brasileira de 2008, na categoria “Revelação”, e em novembro, participou da festa do Grammy Latino, indicado na categoria principal, como “Artista Revelação”. Nesse período fez sua primeira turnê internacional, nos EUA, com shows em Los Angeles e San Diego. Em junho do ano seguinte, voltou aos Estados Unidos para uma turnê que passou por Miami, Houston, Los Angeles, San Francisco e Newark.

Seu segundo CD, “Tô Fazendo a Minha Parte”,  rendeu a Diogo o seu primeiro Grammy Latino, e trouxe músicas inéditas, de sua autoria e de compositores como Chico Buarque, Ivan Lins, Arlindo Cruz, Almir Guineto, Xande de Pilares e Flavinho Silva, dentre outros. Ainda em 2009, Diogo Nogueira co-assinou, pelo quarto ano consecutivo, o samba-enredo da Portela, escola de samba do coração da família Nogueira,  recebendo notas máximas de todos os jurados na avenida.

Em julho de 2010, Diogo gravou seu segundo DVD, “Sou Eu”, no palco do Vivo Rio (RJ), e contou com a participação de Chico Buarque e Ivan Lins – que lhe presentearam com a música do título, inédita – além de Alcione, Hamilton de Holanda e dos bailarinos da Cia. de Dança Carlinhos de Jesus. “Sou eu” foi lançado em novembro do mesmo ano, também no formato CD. O DVD alcançou a marca de mais de 200 mil unidades vendidas (DVD de Platina Duplo) e o CD bateu a marca de 100 mil unidades (Disco de Ouro). No final de outubro de 2010, embarcou para a Europa para sua primeira turnê pelo continente, passando por Portugal, Itália, Inglaterra, França e Suíça.

Também em 2010, ganhou o Prêmio VMB da MTV Brasil, na categoria “Melhor Artista de MPB”, além de concorrer ao melhor clipe do ano – um fato inédito na história da MTV para um clipe de samba. Em novembro do mesmo ano, o cantor ganhou o Grammy Latino, na categoria brasileira de “Melhor Álbum de Samba”, pelo disco “Tô Fazendo a Minha Parte”. Em 2011, mais um álbum do sambista, “Sou Eu”, foi indicado ao Grammy Latino, na categoria “Melhor Álbum de Samba”.

Entre junho e julho de 2011, fez sua segunda turnê internacional pela Europa e pelos Estados Unidos. A ótima repercussão dos shows na Europa rendeu outros frutos ao sambista. A EMI Music de Portugal lançou o CD e DVD “Sou Eu” em terras lusitanas, em setembro do mesmo ano, quando Diogo cumpriu uma agenda de divulgação em Lisboa. No retorno ao Brasil se apresentou no Palco Sunset, do Rock in Rio 2011.

Em abril de 2012, lançou o “Sambabook João Nogueira”, uma homenagem à obra de seu pai. O projeto englobou dois CD, DVD, Blu-Ray, um fichário com 60 partituras, além de um livro com uma “discobiografia” trazendo a história do sambista contada através dos seus trabalhos. Diversos artistas participaram das gravações, entre eles Djavan, Seu Jorge, Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Beth Carvalho e Alcione.

Em agosto de 2012, lançou o CD e DVD “Diogo Nogueira ao Vivo em Cuba”. O DVD traz o registro do show em Havana, Cuba, realizado em novembro de 2011, além do documentário “DOC.SHOW” com imagens de sua passagem pelo país, seus encontros com os músicos locais e suas impressões de viagem. A apresentação foi no imponente Teatro Karl Marx, com plateia lotada e a participação especial do grupo cubano Los Van Van. Este trabalho lhe rendeu mais um DVD de Platina e mais um CD de Ouro e, encerrando 2012 em grande estilo, Diogo levou seus grandes sucessos para mais de dois milhões de pessoas na virada do ano na Praia de Copacabana.

Em julho de 2013, lançou o CD “Mais Amor”, com uma grande turnê que passou por todas as capitais brasileiras. Em agosto do mesmo ano, lançou, em parceria com o bandolinista Hamilton de Holanda, o disco “Bossa Negra”. Inspirado nos afro-sambas de Baden Powell e Vinicius de Moraes, o álbum apresenta 13 faixas, sendo a maioria composições autorais dos dois, além de clássicos de Ary Barroso, Vinicius, Pixinguinha e Arlindo Cruz. E foi a partir desse projeto que Diogo ganhou seu segundo Grammy Latino, em 2015, na categoria de "Melhor Canção Brasileira", pela música "Bossa Negra", em parceria com Hamilton de Holanda e Marcos Portinari.

Em junho de 2015, logo após lançar seu quarto álbum de estúdio pela Universal Music, “Porta-Voz da Alegria”, Diogo apresentou o espetáculo “Bossa Negra” em turnê por dez países da Europa (França, Itália, Inglaterra, Portugal, Eslovênia, Holanda, Finlândia, Alemanha, Bélgica e Suécia), quando gravou um filme de toda a turnê que realizou acompanhado de Hamilton de Holanda.

Ainda em 2015, Diogo estreou como ator no musical “SamBRA”, o projeto multiplataforma da Musickeria e Aventura Entretenimento, que marcou o início das comemorações do centenário do samba. Uma mistura de musical e show, o espetáculo passeia pela história do samba e seus baluartes e foi apresentado em várias capitais do país, sempre com casas lotadas e grande sucesso.

No fim de 2015, Diogo estreou uma nova turnê, “Porta-Voz da Alegria”, baseada no álbum homônimo, que rodou as principais capitais brasileiras sempre com shows lotados. No Carnaval 2016, foi homenageado pela escola de samba Imperatriz Dona Leopoldina, de Porto Alegre, no enredo “Espelho, de Filho Para Pai a Imperatriz canta Diogo para João”, que deu o título de campeã nesse ano para a escola.

Em maio de 2016, gravou seu quarto DVD, ”Alma Brasileira”, com participação de Maria Rita e Beth Carvalho, numa grande homenagem ao samba e à música popular brasileira, reverenciando artistas que ajudaram na sua formação musical, com novas versões para canções de Milton Nascimento, Djavan, Gonzaguinha, e até Cazuza e Tim Maia, além das referências no samba como João Nogueira, Zeca Pagodinho e Roberto Ribeiro.

No ano passado, comemorando seus 10 anos de carreira (e muitos frutos), Diogo lançou em novembro o seu primeiro álbum com músicas 100% autorais e inéditas, “Munduê”, quinto disco de estúdio, muito bem recebido pela crítica. Trazendo frescor ao samba, “Munduê” é um resgate das raízes do samba, com muito batuque e força política, e músicos e parceiros da nova geração do samba e choro, sem deixar de lado os veteranos. Com cenário do renomado Helio Eichbauer, os shows da turnê deste novo trabalho começam agora em abril e vai rodar por todo o país até o final do ano, celebrando seus 10 anos de carreira.

Discografia
* 2007 – Diogo Nogueira ao Vivo (CD + DVD)
* 2009 – Tô Fazendo a Minha Parte (CD)
* 2010 – Sou Eu (CD + DVD)
* 2012 – Ao Vivo em Cuba (CD+ DVD)
* 2013 – Mais Amor (CD)
* 2014 – Bossa Negra (CD)
* 2015 – Porta-Voz da Alegria (CD)
* 2016 – Alma Brasileira (CD + DVD)
* 2017 – Munduê (CD)



ALCIONE

"EU SOU A MARROM" marca as comemorações pelos 45 anos de carreira  e 70 de idade da cantora maranhense que é um dos maiores orgulhos do cenário artístico brasileiro Com uma trajetória  consagrada, cantora e instrumentista, Alcione  trafega entre os mais diversificados  gêneros musicais esbanjando talento, suíngue, e, principalmente, emoção . Ela pode cantar samba, bolero, jazz, xote, reggae, música romântica ou qualquer outro estilo musical porque foi contemplada com um das vozes mais poderosas e versáteis que o nosso país já conheceu..  "Eu sou a Marrom"  é um proje to multifacetado, com inúmeros ítens que serão lançados no decorrer deste ano: um documentário ( parceria da Marrom Music com a Documenta Filmes), a biografia da artista  ( livro que está sendo escrito pela jornalista Diana Aragão), um musical (em parceria com a Fato Produções Artísticas), a gravação de um DVD ao vivo, dia 12 de maio, no Estádio Nilton Santos (mais conhecido como "Engenhão")  e uma turnê roteirizada  com seus maiores hits de carreira..   Para coroar este  que tem tudo para ser o "ano da Marrom", vale ainda acrescentar que ela será homenageada no carnaval paulistano pela Mocidade Alegre - uma das agremiaçõ ;es mais importantes da capital de SP - com o enredo "A voz Marrom que não deixa o samba morrer".
"Eu sou a Marrom", o novo projeto de Alcione, já teve seu pontapé inicial com o lançamento da turnê, no finalzinho do ano passado, em um espetáculo realizado na Ribalta, no Rio de Janeiro, que contou com as participações especialíssimas de Maria Bethânia e da Bateria da Estação Primeira de Mangueira. Um show que superlotou a casa da Barra da Tijuca e levou a plateia ao delírio, inclusive os inúmeros  convidados vips que fizeram questão de cumprimentá-la, no camarim,  após o show.

A CARREIRA
Com 45 anos de carreira, 42  álbuns (entre lps e cds) e 9 dvds gravados,  Alcione já ultrapassou a marca de oito milhões de discos vendidos; fez shows em mais de 30 países, e perdeu a conta de quantas vezes cruzou o Brasil de ponta a ponta com turnês prestigiadas pelo público, mídia, e   lotações esgotadas.
A cantora, que arrebatou ao longo de sua trajetória mais de 350 prêmios, entre nacionais e internacionais como o Grammy Latino; honrarias, títulos e comendas, também é muito requisitada para campanhas publicitárias. Sua escolha como uma das titulares da turnê " Nivea, Viva o Samba" - que levou multidões aos espetáculos iniciados na Praia de Copacabana - foi apenas mais uma comprovação do prestígio, credibilidade, e da empatia popular causada pelo nome da nossa querida Marrom. Por falar nos megaeventos realizados na Praia de Copacabana, Alcione, juntamente com Martinho da Vila, Diogo Nogueira, a cantora Iza, a Orques tra Petrobras Sinfônica e componentes de 13  das maiores Escolas de Samba do Rio,  participou, neste início de ano, do "Encontro do Samba", realizado para comemorar a abertura dos festejos carnavalescos .
Outro belíssimo gol de placa, nos últimos anos, foi a inclusão da música "Juízo Final", de Nelson Cavaquinho e Élcio Soares, na abertura da novela "A regra do jogo", de Glória Perez. Em 2017, em outra telenovela de sucesso escrita por Glória, "A força do querer", a Marrom interpretou "Olha", de Roberto e Erasmo Carlos, tema  de um dos protagonistas que acabou também encantando o público..
Com uma carreira sólida e contemplada por um número incontável de hits, a intérprete jamais abdicou de enfrentar  quaisquer desafios. Recentemente, fez um espetáculo - elogiadíssimo - no projeto "Inusitado", interpretando apenas canções em francês. Pela segunda vez, convidada a participar do Rock in Rio, em setembro último,  emocionou uma plateia de jovens que foram ao evento para ouvir rock e pop... cantando  Samba! O melhor do Samba! Aplausos do público e da crítica especializada,  em uma unanimidade dificilíssima de ser atingida. No templo do rock, fez-se, mais uma vez, rainha!!!.
Sempre pronta a voos mais altos e intermináveis, ano passado,  a Marrom  "bateu uma perna pelo mundo" (conforme gosta de dizer).e realizou turnês pelos Estados Unidos, Portugal, Suíça, e já está agendando exibições em outros países da Europa e África. A regra geral permanece a mesma: aplausos, belas críticas e publicações que lotam páginas e páginas dos principais veículos da imprensa nacional e estrangeira. Espaços privilegiados que denotam sua importância artística, resenhas que evidenciam uma trajetória marcada pelo sucesso e amor à Mùsica.
E por falar em desafios e inusitados,  em 2017, paralelamente aos shows e carreira solo, Alcione também dividiu palcos com  artistas de várias gerações. Um deles, o "afilhado" Diogo Nogueira, em uma série que está superlotando  inúmeras casas de espetáculos. Outro grande encontro foi no projeto "Vozes", inaugurado durante os festejos do Círio de Nazaré, em Belém, Nele,  duetos eletrizantes e emocionados com Fafá de Belém e Daniel.

UM SONHO REALIZADO
Artista amada por plateias de todos os quadrantes, faixas etárias, classes sociais e intelectuais, Alcione também faz questão de utilizar as novas mídias para aproximar-se do público.  Público esse composto por uma multidão de seguidores conforme revelam os números, superlativos, de suas redes sociais: mais de 585 mil curtidas no Facebook, de 402 mil seguidores no Instagram, e mais de 84 mil no Twitter.
Ano passado, mais um sonho realizado com o lançamento do. "Alcione Boleros", Um DVD/CD ao Vivo com repertório mesclado entre canções em português, espanhol, clássicos e inéditas, O álbum,  aguardado ansiosamente pelos fãs e recomendado pela imprensa especializada de todo o país, já se tornou mais um clássico na extensa galeria de êxitos da cantora.

Cantora virtuosa e absolutamente identificada com as chamadas "canções de amor", Alcione consegue, com suas interpretações viscerais, chegar ao coração do  público. Plateias que sempre acorrem aos shows e que deliram, emocionadas, principalmente quando a Marrom entoa os hits românticos.  Por isso, "Alcione Boleros" foi mais um projeto im-ba-tí-vel desta Diva que nos seduz, emociona e surpreende há mais de quatro décadas. Vale ressaltar que o projeto  foi uma parceria da Marrom Music com a Biscoito Fino. A empresa, que cuida de todos os projetos e da carreira de Alcione, é  dirigida por sua produtora e diretora de espetáculos Solange Nazareth.